speaking

Living Abroad

10 estratégias para melhorar sua pronúncia e o seu speaking

eu cantando

Se você é daquelas ou daqueles que estudam inglês há anos, sabe ler e entende, mas na hora de falar se atrapalha ouuuu fala, mas queria polir sua pronúncia, anota aí 10 estratégias pra melhorar a sua pronúncia e o seu Speaking ✍🏻

# 1: Foque no som e não na ortografia!

Nosso cérebro é safadinho, o que ele pode fazer pra economizar tempo e energia ele faz. Então ao olharmos pra uma palavra no papel, nossa primeira reação é tentar pronuncia-la usando os sons da língua portuguesa como referência. Se você é de Campinas, interior de São Paulo, por exemplo, ao olhar para BUT, o seu cérebro lê /buʧ/ ou /bʌʧ/, caso você seja um pouco mais experiente com o inglês. Mas, de acordo com a língua inglesa, a pronúncia é /bʌt/. 

Ou ainda a palavra WEDNESDAY ou FEBRUARY em que o D de “weD” e o R de “febR” não são pronunciados!

Ou seja, ao estudar pronúncia de palavras específicas no inglês, olhe sempre para a transcrição fonológica e não tente inferir a pronúncia baseando-se na ortografia porque no inglês a gente NÃO lê como se escreve!

# 2: Aprenda e pratique os sons que você não conhece!

O português tem 7 sons de vogal, o inglês tem 11* [*alguns autores consideram mais porque eles incluem os ditongos e o schwa]. Observe:

Vogais curtas: /ɪ/-pit, /ɛ/- pet, /æ/-pat, /ʌ/-cut, /ʊ/-put, /ɒ/-dog, [Schwa] /ə/-about. 

Vogais longas: /i:/-week, /ɑ:/-hard,/ɔ:/-fork,/ɜ:/-heard, /u:/-boot. 

Ditongos: /eɪ/-place, /oʊ/-home, /aʊ/-mouse, /ɪə/-clear, /eə/-care, /ɔɪ/-boy, /aɪ/-find, /ʊə/-tour.

Portanto, os sons que não existem no português nós temos que aprender!

# 3: Tenha consciência do posicionamento dos seus lábios e língua ao produzir um som!

Para produzir o famoso som do Th, por exemplo, que pode ser não vozeado como em THINK /θɪŋk/ ou vozeado como em THAT /ðæt/, você pode colocar a língua entre os dentes da frente e nesse posicionamento fazer sons de S e Z respectivamente. [Tenta e me conta!]

# 4: Familiarize-se com o funcionamento da língua inglesa!

Na estratégia #1 eu avisei que inglês não se lê como se escreve. Mas não é só isso! O português é uma syllable-timed language e o inglês é stress-timed.  Traduzindo, ao pronunciar a frase “eu tenho um carro,” eu pronuncio todas as palavras com a mesma “altura” em português. Já em inglês, as palavras assumem o papel de CONTENT WORDS & FUNCTION WORDS, ou seja, as que carregam conteúdo e as auxiliares. 

Content words são claramente pronunciadas e as function words são reduzidas ou mais “baixas.”

Quando um falante diz “I have a car” as content words, pronunciadas mais alto, são HAVE e CAR. Então a pronúncia é “i HAVE a CAR.”

# 5: Tenha consciência das REDUCTIONS!

No dia a dia, ao falarmos “onde você está?”, dizemos comumente “onde cê tá?” Pois é, esse tipo de redução também ocorre em inglês e alguns exemplos são:

Want to = Wanna 

I wanna go with you! [Eu quero ir com você]

Going to = Gonna

I’m gonna have lunch by myself! [Vou almoçar sozinha]

Kind of = Kinda

Are you tired? [Tá cansada?]

Kinda [Mais ou menos]

Got you = Gotcha

(I) gotcha! [Te peguei!] 

Give me = gimme

Gimme your hand [Me dá sua mão]

Let me = lemme

Lemme in! [Me Deixa entrar!]

Have to = Hafta

I “hafta” go [Eu tenho que ir embora]

Esses são apenas alguns casos. E aí está a explicação de letras que somem quando falantes nativos estão falando!

# 6: Atenção ao Connected Speech!

O discurso conectado é o porquê de termos a impressão que falantes nativos falam rápido!

Lembra do meu exemplo “onde você está?”  Vai dizer que nunca ouviu “oncêtá?” Esse aí é o connected speech! Os sons já estavam reduzidos e daí grudamos eles!

Bando de falantes nativos fanfarrões que somos que só pensamos em conveniência, hein?

# 7: Faça shadowing!

Você pode não saber, mas ao cantar uma música você está SHADOWING o cantor(a)! Shadowing nada mais é que repetir exatamente o que está sendo falado, como está sendo falado, com a mesma entonação, pausa, e etc, uma sombra do falante a quem você está imitando. 

Além de músicas, sugiro que você faça isso com textos como os talks do TED.com que vêm com transcrição. 

Essa técnica te ajuda a polir sua pronúncia, aprender a identificar sílabas tônicas, a altura das palavras, e você pode usar pra adquirir um sotaque específico.

# 8: Baixe o ELSA Speak!

Não é publi! Esse app é o melhor app que já vi pra te ajudar a corrigir sua pronúncia em um nível fonológico. Se quiser ver como ele é por dentro é só clicar aqui

# 9: Leia! Leia! Leia!

Quer aumentar seu vocabulário? Leia! Leia! Leia! A professora de português não estava de sacanagem! A melhor maneira de aprender a transicionar entre as diferentes esferas da língua é se expondo as essas esferas! Inglês acadêmico, inglês do dia a dia, inglês de negócios, e etc. E melhor ainda se você fizer isso com recurso escrito que contém áudio pra você praticar o seu Speaking. Por exemplo, audio books!

# 10: Fale sozinha (o)!

Ao falar sozinha você começa a perceber as coisas sobre as coisas você não sabe falar, palavras e estruturas que você desconhece, e pode anotar pra ir pesquisar e adquirir mais vocabulário e aumentar sua proficiência.

Essas 10 estratégias são constituintes do meu programa prático de conversação. A turma atual conta com práticas de speaking particulares semanalmente e está com 3 vagas abertas.

Se tiver interesse em começar a mudar o seu speaking já, me mande um e-mail para [email protected].  

Ou, entre para a lista de espera e seja avisada (o) sobre a próxima turma com prioridade

*Note que as condições de turma de 2021 não serão necessariamente as mesmas da última turma de 2020*