Living Abroad

Rule#1: Know that you don’t know!

gated home

🇺🇸 When it comes to everyday stuff, living abroad is not that different than living in your home country. Unless, of course, you are leaving behind a glamorous or sheltered life to venture yourself out into foreign lands with no shelter or glamour. But if you just have a regular life in which you have to go to work and school, clean your place, grocery shop for yourself, do laundry, then you still have to do those things when you are living abroad. Unless, again, you are going Alexander Supertramp on your venture and decide to super downsize and live off the wild and fortune.

But then what is different? We watch so many American movies that make us feel so close to the United States that it’s almost like we live here. Apart from all the adorable wood homes surrounded by porches with swings and swing chairs, featuring non-gated front yards with beautifully mowed lawns, it’s the same as in Brazil, isn’t it? They wear Nike, so do we. They wear Levi’s, so do we. They eat burgers and pizza, we do too!

Yeah, not so fast, folks! Not even the Coke here tastes the same! It’s sweetened with corn syrup instead of sugar cane. Some houses are in fact gated. Moreover, unless you are near a Brazilian community (yes! Our people are all over the USA and highly concentrated in certain areas), you are no longer going to eat Brazilian food or hear any Portuguese, and no matter how great your English is, there is a point for all of us that you just need to express your self in Portuguese, because you are just smarter in Portuguese. True story. And if you are already here, you have felt that kind of impotence before, if you haven’t, consider that an “I haven’t YET”.

Also, changing your lifetime dietary habits is much harder than you think. You may develop allergies and diarrhea, gain or lose weight (most likely gain – sorry!). I’m not trying to talk you out of a cultural exchange experience idea, on the contrary, I’m sort of a cultural exchange program activist! I think everybody should try leaving their comfort zone for at least a while. All I want is for you to come knowing that you actually don’t know and should prep your mind for a high, but fun, learning curve.

 

🇧🇷 Menina, viajei! em Morando fora regra#1: Saiba que você não sabe!

Quando se trata de coisas do dia-a-dia, morar fora não é tão diferente de morar no país em que você nasceu e cresceu. A menos, é claro, que você esteja deixando para trás uma vida glamurosa ou cheia de colinho da mamãe para se aventurar em terras estrangeiras sem colinho da mamãe ou glamur. Mas se você tem uma vida normal na qual você tem que trabalhar e ir à escola, limpar a casa, fazer compras no supermercado, lavar sua roupa, neste caso, você ainda tem que fazer todas essas coisas quando você mora no exterior. A menos que você decida viver sua aventura no estilo Alexander Supertramp e corte praticamente todos os seus recursos para viver da natureza e da sorte.

Mas então, o que é diferente? Nós assistimos a tantos filmes americanos que nos fazem sentir tão próximos dos Estados Unidos que é quase como se morássemos aqui. Com excessão das lindas casas de madeira, cercadas por uma varanda com balanços e cadeiras de balanço, com quintais sem muros e portões, com gramados verdes e bem aparados, os Estados Unidos é igual ao Brasil, não é? Eles usam tênis da Nike, nós também. Eles usam calça da Levi’s, nós também. Eles comem hamburgueres e pizza, e nós também!

Opa, respira, pessoal! Nem mesmo a Coca-Cola americana tem o mesmo gosto da brasileira! Aqui é adoçada com xarope de milho ao invés de cana de açúcar. Algumas casas tem muro e portão sim. Além disso, a menos que você more perto de uma comunidade brasileira (sim! Nosso povo está por todo os Estados Unidos e altamente concetrado em certas áreas), você não vai mais comer comida brasileira ou ouvir as pessoas falando português, e não importa o quão afiado seu inglês seja, chega um momento para todos nós que você precisa se expressar em português, porque você é simplesmente mais “inteligente” em português. Sério mesmo. E se você já mora aqui, você já sentiu esse tipo de impotência antes, e se não sentiu, considere sua situação como “não senti AINDA.”

Outra coisa, mudar os seus hábitos alimentares de uma vida toda é muito mais difícil do que você possa imaginar. Você pode desenvolver alergias e diarréia, ganhar ou perder peso (muito mais provavelmente ganhar – sinto informar!). Eu não estou tentando te convencer a desistir da ideia de fazer um intercâmbio, pelo contrário, eu sou um tipo de ativista em prol de programas de intercâmbio cultural! Acho que todo mundo deveria tentar deixar sua zona de conforto por pelo menos um tempo. Tudo o que eu quero é que você venha sabendo que você na verdade não sabe, e que deve preparar sua mente para uma curva de aprendizado alta, mas divertida.

2 Comments

  • Muito legal seu blog, Lais! Parabéns! Eu vim passar uma temporada nos EUA – 2 anos – e me identifiquei muito com o que você disse. Basicamente tudo que a gente acha que sabe vai por água a baixo quando passamos pelos perrengues de morar no dia-a-dia aqui, rs.
    Beijo grande! Sucesso!

    • Obrigada Ludimila!! Pelo Menina, viajei! meu objetivo é compartilhar a minha vivência para que outras pessoas passando por situações parecidas entendam que elas não estão sozinhas e que, se possível, evitem um problema maior através das minhas dicas baseadas nas minhas experiências. Cada história é uma história, mas muita coisa parece dejà vú.Um super beijo!!! Sempre te vejo lá no IG, obrigada pelo apoio ao meu trabalho!!!

Leave a Comment